]]>
E-mail
Senha
Manter conectado
Revolução digital na educação
Entrevista exclusiva com Martha Gabriel
Por Tiago Bosco em 02/09/2013
Compartilhe no Facebook!Compartilhe no Facebook!

As evoluções tecnológicas estão modificando o dia a dia e o comportamento da sociedade, causando, com isso, impacto direto em um setor fundamental para a formação das pessoas - o da educação. Com este cenário, importantes questões são discutidas: como deve ser a educação na era digital? Quais desafios e oportunidades ela nos traz?

Para compreender melhor este tema, convidamos Martha Gabriel, apontada pela Online Universities entre os Top 100 professores mais experts em tecnologia no mundo e autora do livro Educ@r - A (r)evolução Digital na Educação.


WIDE Recentemente você lançou Educ@r - A (r)evolução digital na educação, sua 5ª publicação. Quais fatores lhe motivaram a escrever este livro?
MARTHA
Eu sou apaixonada por educação e acredito que é por meio dela que conseguimos ser livres. Wittgenstein dizia que o limite da nossa linguagem é o limite do nosso mundo, e considerando como linguagem todas as formas de educação, podemos dizer que "a nossa educação é o nosso limite". Quanto mais educado é um indivíduo, mais conectado ele se torna, pois ele amplia as áreas em que pode atuar e se relacionar. É importante observar que quando me refiro à educação, é no sentido mais amplo da palavra, isso envolve não apenas o conhecer - formal e informal -, mas também o conviver. A educação amplia o nosso universo e pode nos levar a patamares de realização pessoal e crescimento não alcançáveis de outro modo.

Sou estudante e aprendiz desde que me lembro por gente e continuo incessantemente buscando melhorar a minha educação; a lápide será o meu diploma. Por outro lado, também sou professora e pesquisadora, e adoro compartilhar e discutir ideias.

"A penetração das tecnologias digitais está nos levando a um salto de evolução que acontece em velocidade vertiginosa sem precedentes na história da humanidade"

Assim, juntando-se todos esse fatores, tenho percebido mudanças muito grandes na última década em relação à forma como aprendemos, inovamos, nos relacionamos, vivemos. A penetração das tecnologias digitais está nos levando a um salto de evolução que acontece em velocidade vertiginosa sem precedentes na história da humanidade. Tudo muda o tempo todo e a nossa educação também está mudando no mesmo ritmo, quer queiramos ou não. Assim, os sistemas educacionais, pais e educadores precisam considerar isso para preparar o ser humano para o novo cenário que emerge. O livro Educ@r pretende ser uma pequena contribuição nesse universo amplo complexo da educação, com o intuito de fomentar essa reflexão e discussão sobre a educação na era digital.


WIDE "A Era da Informação está dando lugar à Era da Inovação e com isso questionamentos surgem: como deve ser a educação na era digital?". De maneira resumida, em sua opinião, como deve ser a educação na era digital?
MARTHA
A educação na era digital deve ter foco no aluno - ativo e não mais passivo - buscando desenvolver as principais habilidades necessárias para viver no mundo do século XXI - pensamento crítico, criatividade/empirismo, conexão - tecnológica e inter/intra-pessoal. Em uma era em que tudo muda a cada instante apresentando desafios e oportunidades inéditas o tempo todo, as fórmulas antigas não funcionam mais. Assim, a educação baseada prioritariamente em conteúdo e memorização não atenderá mais as necessidades de capacitação para a vida na era digital.

Em função da reestruturação social desencadeada pelas tecnologias digitais, estamos migrando de um mercado de formação piramidal para uma formação ampulheta. Os empregos de nível médio - intermediação, controle, avaliação etc. - estão desaparecendo, pois essas atividades devem passar cada vez mais a serem exercidas por computadores. Por exemplo, o carro autodirigível não precisa de motorista; o professor não precisará mais avaliar provas pois os sistemas de Big Data farão isso de forma muito melhor; agências de viagem tradicionais passam a ser desnecessárias pois as pessoas fazem suas reservas cada vez mais diretamente pelos sistemas, e assim será com todas as áreas, como agências de emprego, de taxi etc. No entanto, cada vez mais precisaremos de especialistas que desenvolvam e/ou se relacionem com sistemas complexos, e esses experts ganharão cada vez mais e serão em número cada vez maior. Dessa forma, a educação na era digital torna-se ainda mais determinante para o sucesso profissional.


WIDE Como você avalia a aceitação e o emprego dos recursos digitais como instrumento profissional por parte dos professores e pedagogos? O Brasil está acompanhando essas mudanças?
MARTHA
A capacitação dos professores para o ambiente digital também é um processo de educação e, na minha opinião, é o maior desafio a ser vencido. De uma forma geral, não apenas no Brasil, mas na maior parte dos países, ainda existe um gap grande entre professores e alunos em termos de familiaridade com a tecnologia digital. No entanto, tenho testemunhado um interesse muito grande em entender e usar o digital por parte dos professores, educadores, pais e instituições de ensino, e isso é muito importante pois é o primeiro e mais importante passo para se alcançar letramento digital. Há alguns anos predominava ainda um pensamento que o digital era opcional. Hoje, acredito que esteja cada vez mais claro que a única opção é abraçar o digital o mais rapidamente possível para poder viver, aprender, educar e se relacionar no mundo.

Existem várias iniciativas no Brasil nesse sentido, tanto por parte dos governos pensando em como criar políticas públicas para a educação digital, bem como por parte de particulares e universidades.



Outro fator determinante para a adoção das tecnologias digitais nas escolas e para a inclusão digital mais ampla no Brasil é a infraestrutura e custo de conexão com a internet. Hoje, no Brasil, a qualidade das conexões de dados mobile ainda são muito ruins e, em alguns casos, inexistentes. Uma política pública de prover internet a baixo custo e de alta qualidade no país todo seria um passo imenso no sentido de incentivar a educação digital.

Acredito que apesar das dificuldades, tanto no Brasil quanto no mundo, devemos ver uma rápida adoção das tecnologias digitais nas instituições de ensino, pois as pessoas estão se modernizando de forma cada vez mais natural em suas vidas, e se as instituições não se prepararem e adequarem seus modelos de ensino e de negócios, terão dificuldades em sobreviver no cenário digital.


WIDE No seu livro, para permitir que o leitor acesse links digitais apresentados ao longo do texto, os cases e exemplos trazem um QRcode que pode ser escaneado e acessado imediatamente online. Em sua opinião, pode-se afirmar que esta será uma tendência nas obras literárias?
MARTHA
Eu comecei a usar o recurso de QRcodes nos meus livros desde 2010 porque isso transforma a experiência da leitura, fazendo com que o livro impresso se torne um híbrido com o digital, permitindo uma leitura e uma experiência que vai além do livro em si. O uso dessa e de outras tecnologias que "ampliem" o livro impresso criando hiperlinks e experiências complementares é uma tendência porque o leitor está cada vez mais acostumado a ter esses recursos no ambiente digital. No entanto, é interessante observar que, mesmo que um livro não tenha QRcodes para fazer links digitais explícitos, o leitor cria links digitais por meio do próprio texto - se eu leio algo que se passa na região da Capadócia, eu posso pegar o meu smartphone naquele instante e fazer uma consulta sobre a Capadócia, sua história, mapas etc. Assim, qualquer texto impresso hoje tem implicitamente links digitais que são habilitados pelas ferramentas mobile.


WIDE Algumas pessoas acreditam que o livro impresso está com os dias contados. Você acredita nisto?
MARTHA
Não acredito que ele morra, mas penso que morrerá o livro impresso como ele é hoje. Ou seja, cada vez que uma nova tecnologia surge (ex: o digital), ela re-significa as tecnologias anteriores (ex: impressão), pois toda nova tecnologia traz novas possibilidades que libertam as anteriores de suas limitações e as complementam, ampliando o ecossistema tecnológico e funcional, tornando-se mais complexo. O livro digital tem inúmeras vantagens sobre o livro impresso, que vai além do processo produtivo e distribuição, pois nos permite funcionalidades adicionais que acrescentam valor para o leitor - por exemplo - ausência de peso (centenas de livros cabem em um tablet que pesa menos que um único livro), busca de termos dentro do texto, anotação e leitura social. Portanto, acredito que o livro impresso vá gradativamente se transformando para se integrar e se alinhar com o digital - como é o caso do uso de QRcodes no livro -. Eventualmente nesse processo, o livro impresso tenderá a existir apenas como forma de arte, da mesma forma que aconteceu com a pintura quando surgiu a fotografia.
"A capacitação dos professores para o ambiente digital também é um processo de educação e, na minha opinião, é o maior desafio a ser vencido"

WIDE Projetando o futuro, pretende lançar outro livro? Quais temas você gostaria de abordar nos próximos lançamentos?
WIDE
Sim, o próximo lançamento é a continuação do livro Educ@r. Inicialmente, o livro Educ@r teria também a parte prática de uso de ferramentas digitais, mas achei melhor separar a discussão sobre transformações na educação e impactos do digital na sociedade em um livro - esse primeiro - e deixar a parte prática para outra publicação. Assim, estou escrevendo esse outro livro que deve ser lançado em breve.

Além dos livros na área de educação, tenho alguns temas na área de marketing que também estou organizando para publicar rapidamente. Como eu trabalho bastante com cursos, palestras e consultoria, e estou sempre pesquisando e organizando ideias e criando reflexões, os temas vão surgindo e se estruturando naturalmente, trazendo assuntos interessantes para novos livros. Dessa forma, a vida é uma aventura que vai se escrevendo.


Educ@r - A (r)evolução digital na educação
- Martha Gabriel. Ed Saraiva, 2013




A evolução das tecnologias digitais de informação e comunicação tem transformado profundamente a sociedade em todas as suas dimensões, inclusive a educação. Considerando isso, este livro apresenta e discute dois importantes aspectos que afetam profundamente a educação tradicional. O primeiro aspecto abordado são as mudanças causadas pela disseminação e penetração das plataformas e tecnologias digitais na sociedade, o segundo são os impactos dessas mudanças na educação e as possibilidades que as plataformas e tecnologias digitais apresentam.

Compartilhe no Facebook!Compartilhe no Facebook!

Comentário(s)