]]>
E-mail
Senha
Manter conectado
Links Patrocinados x Marketing de Conteúdo
Profissionais analisam as tendências e contam suas experiências
Por Tiago Bosco em 23/03/2015
Compartilhe no Facebook!Compartilhe no Facebook!

Links patrocinados x marketing de conteúdo. Muitas pessoas têm observado que o investimento voltado para links patrocinados está sofrendo uma queda, enquanto o "Marketing de Conteúdo" começa a absorver boa parte do budget dos departamentos de marketing. Será esta mesmo uma tendência? O que diz alguns dos principais profissionais do mercado digital brasileiro sobre este embate? A Wide foi ouvi-los.


Concordo com o cenário. Falando da nossa experiência na KingHost, percebemos que conseguimos obter o mesmo resultado em links patrocinados reduzindo o budget e otimizando as campanhas com uma ferramenta desenvolvida pela equipe.

Nosso ROI duplicou comparando o período dos últimos seis meses com o mesmo período do ano anterior. Com o valor que deixamos de investir em Adwords, passamos a investir em outras áreas, incluindo marketing de conteúdo, contratação de analistas especializados em redação de textos técnicos e também comerciais. A união de ambas as estratégias triplicou nosso resultado com mídias digitais.

"Com o valor que deixamos de investir em Adwords, passamos a investir em outras áreas, incluindo marketing de conteúdo"













Até meados do ano passado nossa estratégia de vendas de soluções em Cloud Computing na Websolute estava quase totalmente apoiada nos links patrocinados. Durante meses seguidos começamos a observar uma forte queda no desempenho de vendas provenientes do digital e aumento proporcional do custo de aquisição de clientes. Promovemos um trabalho interno de análise e entendemos que esse cenário havia evoluído dessa forma devido à competitividade muito acirrada, puxando o aumento no preço das palavras-chave. A mudança resultante da análise foi começar a apoiar nossas estratégias na geração de conteúdo técnico, informativos periódicos (igualmente técnicos) e sessões de treinamento online, como novas formas de geração de leads.
"Vejo que conseguimos nos adaptar às novas tendências, vencer as barreiras e finalmente implantar e aderir ao modelo Marketing/Sales 2.0"

Após um período de adaptação e maturação passamos a perceber em algumas campanhas um aumento de até 50% na geração de leads e 30% nas conversões em comparação com os links patrocinados. Entretanto, a simplicidade desse relato pode levar à conclusão de que a mudança foi simples. Mas, definitivamente, não foi o caso. Para conseguirmos reverter o quadro de vendas, tivemos que promover uma grande mudança cultural dentro da empresa, testar e implantar vários modelos e ferramentas de automação e ainda transformar alguns dos nossos colaboradores em verdadeiros escritores técnicos, com metas e objetivos de avaliação relacionados a esse assunto. Também foi fundamental o apoio dos parceiros tecnológicos, atuando não só na geração de conteúdo, mas também o fazendo na frequência necessária ao negócio.

Hoje, vejo que conseguimos nos adaptar às novas tendências, mudar a cultura da empresa, vencer as barreiras e finalmente implantar e aderir ao modelo "Marketing/Sales 2.0", cujo principal pilar, na minha modesta opinião, é a geração de conteúdo.



Acredito que a queda de investimento das empresas em links patrocinados aconteça pela junção de alguns fatores. O cenário econômico do nosso país tem uma relação direta com esta queda, já que as empresas estão mais contidas quando falamos em investimento de forma geral. Além disso, tem o fator da elevação dos custos que faz com que as empresas anunciantes repensem suas estratégias.
"Tem o fator da elevação dos custos que faz com que as empresas anunciantes repensem suas estratégias"

Já os links de conteúdo estão inseridos dentro de outra realidade. O público internauta fica a cada dia mais seleto em suas escolhas, então, com intuito de se destacar entre os concorrentes, as empresas têm explorado bastante o marketing de conteúdo - o que nos parece uma forte tendência.

Compartilhe no Facebook!Compartilhe no Facebook!

Comentário(s)